Posts in Hotéis especiais
TEMPTATION: o resort para adultos na sempre espetacular Cancún

Você tem uma ótima oportunidade de conhecer um dos resorts mais procurados em Cancún, famoso por seu ambiente que é super sofisticado e divertido na medida certa para qualquer época da sua vida!       

Bar Sky 3.5, cobertura do hotel, é um lugar em que momentos mágicos podem acontecer e o meu local preferido para resort!

Bar Sky 3.5, cobertura do hotel, é um lugar em que momentos mágicos podem acontecer e o meu local preferido para resort!

  O nome já diz tudo… o Temptation Cancun Resort é especializado em entretenimento para adultos. Eu fiquei apenas 2 dias e uma noite porque não estava no caminho de mergulhar em Cozumel.

Então eu voltei com gostinho de quero muito mais!

Mas não é bem para qualquer idade.

Menores de 21 anos não podem entrar no hotel, o que garante uma atmosfera sempre muito sensual e, ao mesmo tempo, bastante respeito.

Muitos vão para tentação porque o recurso é um ponto para o encontro de adultos de todo o mundo e é excelente para paquerar sem compromisso se você quiser.

Mesmo com piscina cheia, dá para ver uma imagem feminina no fundo. A piscina é uma atração especial! Imagem: TripAdvisor

Mesmo com piscina cheia, dá para ver uma imagem feminina no fundo. A piscina é uma atração especial! Imagem: TripAdvisor

Caso queira suas férias com sossego e tranquilidade com a companhia de marido, namorado ou amigos, é o destino certo. 

Na foto dá para aquele tipo de "resort" comum no Caribe, dos quais em geral eu não sou muito fã.

Mas o Temptation é muito diferente, porque tudo no hotel é sofisticado, luxuoso e de um bom gosto impressionante. Sua localização, bem em frente ao mar no Caribe, garante um belo cenário para bronzear e se divertir na praia. A decoração também é de tirar o folego, da autoria do renomado designer Karim Rashid, que cria um clima despojado e descontraído. Isso me conquistou!

3_gal_tmp_aerea.jpg

Os serviços e a infraestrutura do resort são outros elementos que merecem elogios. E os quartos e banheiros também. Em geral, não coloque fotos de banheiros em blogs, mas eu gosto, porque é importante que seja atraente também, com espelho grande e moderno!



Bem confortável! Imagem: TripAdvisor

Bem confortável! Imagem: TripAdvisor

Há, ao todo, sete restaurantes diferentes para agradar a todos os gostos dos hóspedes, sendo um deles especializado em comidas afrodisíacas. Duas piscinas estão no serviço dos visitantes e, uma delas, é permitida até menos. Agora, uma praia é imperdível!

Dos cinco bares diferentes, dois deles estavam nas piscinas, o meu preferido foi no Sky 3.5, que não está no topo do hotel e oferece uma vista maravilhosa de Cancún. O resort também tem uma academia e um spa, perfeito para relaxar.

Tudo o que eu já cito deixa claro como: Temptation é um recurso extraordinário, mas é permitido ou é o melhor recurso para o final: as festas. Há baladas em todas as noites, cada uma com um tema diferente. Em uma delas, por exemplo, quase todos usam fantasias de super-heróis. Outro dia, foi uma vez que todos se vestiram de branco. Tem até uma noite para usar apenas lingeries! Com músicas de alta qualidade, como baladas são ótimas para conhecer novas pessoas e se divertir.

A vista dos apartamentos é de tirar o fôlego! Imagem: TripAdvisor

A vista dos apartamentos é de tirar o fôlego! Imagem: TripAdvisor

Se você tiver vontade de fazer topless, esta praia é oficialmente o lugar para isso!

Eu fui, mas não publico! Talvez na próxima visita eu já esteja mais familiarizada.

temptation-beach-friends-topless-02.jpg
ALTER DO CHÃO, INCOMPARÁVEL! Parte 2

Este post é uma colaboração de Aurea Figueira, jornalista de primeira linha e amante de lugares, cultura, natureza e caminhadas. Ela viajou de férias e atualizou para o blog as informações e melhores dicas do destino, que eu adoro e ao qual já viajei várias vezes. Para ver o primeiro post, clique aqui.

Vista da praia. O local pode ser utilizado para eventos como casamentos, noivados,m etc. Foto:  TripAdvisor

Vista da praia. O local pode ser utilizado para eventos como casamentos, noivados,m etc. Foto: TripAdvisor

Navegar é preciso!

Mas comer bem também é preciso. E em Alter, nas paradas das voadeiras, quando descemos nas ilhas de areia branca, há um outro paraíso o gastronômico. Não se trata só de pratos sofisticados – quase que não precisa altos ingredientes para um pescado fresco, tirado das águas do Tapajós, ali, na hora! A riqueza da mesa tapajônica está definitivamente nos peixes como pirarucu, piraíba, tucunaré, charutinho, tambaqui e o acarí, acompanhados de farinha de mandioca paraense, pirão de vários tipos, legumes frescos. (Ao saboreá-los vai se esquecer dos peixes congelados dos supermercados.

Restaurante do Saulo, obrigatório

Não deixe de ir. Além do passeio até lá ser maravilhoso, com as vistas incansáveis que Alter proporciona, o Saulo é mais que um restaurante. É uma experiência já a partir da chegada.

Ao descer da voadeira, prepare-se para subir mais de 130 degraus, mas com paradas ótimas para descanso – em uma delas tem uma piscina deliciosa pra se refrescar e te encorajar a subir o restante.

Clique na imagem acima para ver as próximas! Créditos: Rosana P., Pétia Oliveira e Saulo V.

Clique na imagem acima para ver as próximas! Créditos: LaraP782 e André Lucas.

Os ambientes do Saulo vão muito além do restaurante. Tem um estar amplo com almofadões, redes e poltronas em palha para você curtir antes do almoço ou fazer uma bela sesta após degustar as delícias do chef.

O visual lá de cima é deslumbrante: paisagem amazônica avistada do deck e também da imensidão do Rio Tapajós, cristalino nesse trecho. A visão, quase 360º, é de cair o queixo!

Áreas de descanso. Fotos: Mayci Rodrigues e Evan.

Salão principal e vista da praia. Foto:  Waldelice .

Salão principal e vista da praia. Foto: Waldelice.

Fotos: Servio Albuka, 355adrianab e Yona.

A história é comum: começou quando o Saulo, proprietário do restaurante, comprou um terreno na paradisíaca praia do Carapanari, tendo o terreno uma vista belíssima.

Anfiteatro da Selva. Foto:  Fabrícia Custódio

Anfiteatro da Selva. Foto: Fabrícia Custódio

Ao adquirir o pedaço de terra construiu uma cabana para a qual convidava os amigos nos finais de semana. Lá o carismático Saulo fazia pratos gostosos para a turma. A coisa foi tomando forma e os amigos encomendavam os pratos, surgindo, assim, o restaurante Casa do Saulo.

Inclua o passeio à Casa do Saulo em sua visita a Alter. A gastronomia de primeira é rodeada de outros atrativos, lembrando ainda que o espaço conta com anfiteatro, jardins bem cuidados e muita gente bacana.

Cardápio da Casa do Saulo. Fotos: TripAdvisor.

Clique nas imagens acima para ver as próximas. Créditos: TripAdvisor

Noites Doces

Não poderia deixar de citar neste post os doces desse doce vilarejo. São produzidos a partir das frutas da região como o cupuaçu, o coco. O côco vai ao fogo para ganhar a textura necessária de recheio do chocolate. Bombons, licores, compotas e balas de frutos amazônicos são muito diferentes daqueles do nosso cotidiano. Realmente, são muito especiais.

Fotos: Raimowra, Lara P e Sophia W.

Por fim e não menos importante está o verdadeiro açaí. Em Alter, assim como em todo o Pará, o açaí é em polpa, em temperatura ambiente e acompanhado de flocos de tapioca com ou sem açúcar.

E, de novo - esqueça tudo o que já provou de açaí por esse Brasil afora.

ALTER DO CHÃO, INCOMPARÁVEL !

Este post é uma colaboração de Aurea Figueira, jornalista de primeira linha e amante de lugares, cultura, natureza e caminhadas. Ela viajou de férias e atualizou para o blog as informações e melhores dicas do destino, que eu adoro e ao qual já viajei várias vezes.

Alter do Chão. Foto:    Lubasi

Alter do Chão. Foto: Lubasi

Alter do Chão não é o Caribe Brasileiro, simplesmente porque não dá para comparar com outros lugares.

É incomparável!

A viagem até lá é cansativa – nossa malha viária é muito deficiente, ainda. Para chegar em Santarém, leva-se cerca de 6 horas, com, no mínimo, uma conexão. De Santarém, um taxi muito rápido te faz chegar em Alter do Chão.

Qualquer que seja sua expectativa em relação a Alter, acredite, ela vai ser superada e muito!

PARÁ SANTAREM MAPA.png

E atenção: poucos brasileiros conhecem. Muitos estrangeiros tem Alter no radar e visitam o local com bastante frequência.

Fui para a hospedagem mais tradicional do destino, que é o Hotel Beloalter. É simples, como a maioria das pousadas de Alter, mas a proprietária, Irene Zampietro, é uma hostess das melhores, a comida é excelente e o diferencial é imbatível: é pé na areia.

Com a chegada da seca, em agosto, surgem pontais de areia de curvas sensuais a adornar esse rio de 850 quilômetros de extensão, um dos mais belos afluentes do Amazonas. Livre de mosquitos, piranhas ou jacarés, convida ao banho e deixa claro que cada rio é um universo próprio na região. Sua beleza é saturada no distrito de Alter do Chão, em Santarém, no Pará, quando, no fim do ano, revela 19 praias de areia branca. Nade sem receio, experimente a piracaia (peixe na grelha pescado na hora) e contemple o céu estrelado, longe de qualquer sinal de civilização. Alter do Chão ganhou reconhecimento internacional em 2009, quando o jornal inglês The Guardian a colocou entre as dez mais belas praias do Brasil. O melhor período para visitar a cidade é entre agosto e fevereiro, quando chove menos e lindas praias surgem no meio do rio. No período da vazante o Hotel Beloalter ganha um trecho de praia quase exclusivo para aos hóspedes.

Clique nas fotos abaixo para ver as próximas.

Fotos: beloalter.com.br, TripAdvisor e Vem Para Alter

Como cheguei à noite, só coloquei o pé na areia no dia seguinte pela manhã. Por um momento achei que estava nas praias paradisíacas do sul da Bahia, recortadas, de areia muito branca. Assim que me dei conta que as volumosas águas formando dunas e ilhas eram as do Rio Tapajós tive aquela sensação de quem esta vendo o mar pela primeira vez.

É indescritível. Tudo vem na cabeça de uma vez só. O tamanho do Brasil, nossa riqueza natural, nossos recursos hídricos, capazes de matar a sede do mundo, se for bem tratada.

Fotos:  Tiago Silveira ,  Lubasi ,  Celeumo  e Aurea Figueira

Fotos: Tiago Silveira, Lubasi, Celeumo e Aurea Figueira

Os Munduruku. Foto: Márcio Monteiro Rocha

Os Munduruku. Foto: Márcio Monteiro Rocha

Alter é uma pérola no Pará, um vilarejo de 7 mil habitantes, eleito pelo jornal britânico The Guardian como uma das melhores praias do Brasil. Praias, veja bem. São praias, mesmo, das águas doces do Tapajós, que nasce no Mato Grosso, cruza o Sudoeste do Pará e, antes de desaguar na zona portuária de Santarém, beija as areias da terra dos índios boraris e dos Munduruku.

Enquanto respirava e entendia aquela imensidão inusitada da Amazônia, fiz o primeiro passeio obrigatório em Alter, a Ilha do Amor.

Fui a pé da pousada - uma caminhada pela areia e uma travessia pequena do rio, enquanto a maré está baixa. Temos que entender essa ilha pela perspectiva geográfica dela, é ai que esta toda a beleza ao percebermos seu formato de coração estilizado, mas que vai mudando conforme a época do ano.

Turistas e nativos na Ilha. Foto:  Luiz Pantoja

Turistas e nativos na Ilha. Foto: Luiz Pantoja

Na beira da ilha há uma imensidão de quiosques que abrigam turistas e nativos garantindo cerveja gelada e petiscos da região. Quando está muito cheio a ilha perde no visual. Mas é linda.  

Os passeios são tantos que fiquei perdida no começo. Todos podem ser feitos por terra, alugando um carro ou utilizando os serviços de taxis. Mas claro, nada se compara aos passeios de voadeiras (nem os preços!)

IMG-20181116-WA0022.jpg



Principalmente se eles forem feitos com o melhor guia de Alter – o Pitó –,   nativo, cheio de histórias, cuidadoso e com preço justo e negociável.

Vou contar hoje sobre a primeira das minhas jornadas nas águas caudalosas dos Rios Tapajós e Amazonas.

Voadeiras. Fotos:    Los viajes del Cangrejo

Voadeiras. Fotos: Los viajes del Cangrejo

Passei a maior parte do tempo navegando pelo Tapajós para conhecer seu encontro com os rios Arapiuns e Amazonas. Mais do que um passeio eco turístico, é um passeio que guarda muita história daquele povo e que, consequentemente, afeta a história brasileira. Sendo longo ou curto, o passeio convida a observar tonalidades de verde, azul e… marrom. Além de encontros com botos-cor-de-rosa, jacarés, bichos-preguiça, capivaras e outros bichos, nos encontramos com o mais caudaloso rio do mundo, o Amazonas. A mistura com o Tapajós não é fácil. Mas, enquanto se assiste ao espetáculo da natureza, diversas revoadas de periquitos, carcarás e jaçanas fazem a trilha sonora.

A parada obrigatória é na Reserva Extrativista Tapajós Arapiuns, onde pude ver e conviver por algumas horas com a comunidade de Anã. Um refeitório e banheiros coletivos são suficientes para todos os moradores e visitantes.

Claro que é tudo muito bem organizado: passeios pela mata, visita a um apiário caseiro de abelhas sem ferrão, degustação de mel, almoço já tratado com antecedência, e, claro, a lojinha.

Emociona ver o artesanato dos índios, são peças que chegam a custar somente 7 reais e nem sempre são maravilhosas. Mas não é possível sair sem adquirir nada. Meu impulso da compra se deu pelo aspecto humano e social, as comunidades são pobres e vivem do nosso turismo.

Fotos: Aurea Figueira, Lisa Cyr e Portal Amazônia.

Tem muito mais para conhecer e fazer em Alter, incluindo o centro de Santarém e, claro, Belterra, que é Patrimônio Arquitetônico.

Antes de publicar o próximo passeio e dar mais dicas, alerto; nunca acredite que Alter do Chão é o caribe brasileiro.

Alter é único, incomparável.

CHICAGO PARTE 1: TEM SEMPRE ALGO NOVO PARA CONHECER!
O contraste entre o tradicional e o contemporâneo é a cara da cidade!

Foto feita por mim, Patricia Servilha

Sou uma apaixonada confessa por Chicago. Já visitei inúmeras vezes e sempre descubro alguma coisa que deixei passar em uma viagem anterior.

Começando que é uma metrópole muito diferente de Nova York, tão interessante quanto, mas menos populosa e menor territorialmente, e, ainda assim, com lugares e pontos turísticos incríveis. O que mais impressiona qualquer um que a visita é a arquitetura.

 
Fim de tarde na  Magnificent Mile,  em foto feita por mim, junto ao  Water Tower Place , um shopping bem tranquilo.

Fim de tarde na Magnificent Mile, em foto feita por mim, junto ao Water Tower Place, um shopping bem tranquilo.

Como muitos já sabem, mas que é importante ressaltar, em meados de 1870, enquanto crescia exponencialmente, houve um imenso incêndio com início em um estábulo na região sul da cidade que foi espalhado graças aos fortes ventos. Praticamente todas as casas, lojas e até mesmo ruas de Chicago eram de madeira. Como resultado, cerca de trezentas pessoas morreram e mais de 95 mil ficaram desabrigadas. Isso fez com que os governantes traçassem um planejamento para a reconstrução urbana, que contou com nome de renomados arquitetos como Frank Lloyd Wright e Mies Van Der Rohe, transformando a cidade na espetacular Chicago que conhecemos hoje.

São necessários poucos dias para conhecer a cidade, porque é uma cidade pequena, pelo menos para quem vive em metrópoles como São Paulo e Rio de Janeiro. Mas recomendo pelo menos 4 noites. Em poucas milhas quadradas, você encontra de tudo: lojas, museus, restaurantes, parques. Além disso, há a incrível oportunidade de conhecer os primórdios da bolsa de mercadorias dos Estados Unidos.

E, dependendo de qual seja o objetivo (família, lua de mel, casal), tem atividades  para todos.

Chicago também é conhecida por “Cidade dos Ventos” (Windy City)então imagine só como deve ser durante o inverno? Repito, muito frio! E por isso nas estações de outono e inverno não dá para ficar flanando pelas ruas sem uma programação minimamente organizada. Se você errar uma quadra, pode perder preciosidades como obras de Alexander Calder ao ar livre!

 
Chicago Calder .jpg

Escultura de Alexander Calder, no downtown, imperdível, em foto feita por mim.

 

Eu recomendo começar visitando a Chicago Architecture Foundation - CAF, onde é possível saber tudo sobre arquitetura da cidade, comprar mapas, livros maravilhosos e ver a maquete da cidade, que ajuda a entender bem a sua urbanização.

A Chicago Architecture Foundation oferece mais de 85 tipos de tours, seja em downtown ou nos arredores da cidade. Visitas a edifícios icônicos, hotéis e as casas projetadas por Frank Lloyd Wright podem ser feitas em vários tours. Visite o site com antecedência para ver o que será oferecido na época da viagem!

 
Foto de Aureliano Mendes, feita na Chicago Architecture Foundation.

Foto de Aureliano Mendes, feita na Chicago Architecture Foundation.

Por isso, para aproveitar cada canto de Chicago, optamos na última viagem, era inverno, por contratar um serviço de tour - walking tour arquitetônico, porque a riqueza é tão grande, que é importante estar atento a tudo e ter uma interpretação adequada. Eles oferecem as visitas em vários meios de transporte: a pé, de barco, de ônibus e trem, bicicleta e até segway (que é aquele meio de transporte de duas rodas lado a lado que os seguranças dos shoppings usam).

Passar algum tempo contemplando o Lake Michigan é um dos meus programas favoritos em qualquer época do ano. 

Foto feita por Aureliano Mendes com a vista Lake Michigan, em um dia de inverno, muito frio, mas com muito sol!

Foto feita por Aureliano Mendes com a vista Lake Michigan, em um dia de inverno, muito frio, mas com muito sol!

 

E, depois, o que não falta na cidade é lugar para comer e ouvir música.

Mesmo tendo ofertas de vários tipos de comidas do mundo, experimentar um prato típico ainda é o mais legal para se fazer. A chamada Deep Dish Pizza é um dos pratos mais comuns de se encontrar nos restaurantes de Chicago. É uma pizza que mais se parece com uma torta – é muito recheada. Dizem que o sabor é incrível, mas me parece muito junk food norte-americana. Com certeza não é o meu prato predileto. E, aos 50, já aprendemos que uma alimentação saudável dá mais energia para manter o pique!

 
Chicago Andy Jazz .jpg

E quanto à música, existem muitas opções tradicionais, turísticas e alternativas. Dentre todos, foi o Andy Jazz que nos proporcionou um show, como vemos na foto ao lado. Ainda vou escrever um post apenas sobre casas e bares de jazz.

Chicago é muito desenvolvida e isso se reflete na área cultural que, junto à arquitetura, é o paraíso para os loucos  por museus, como eu. 

Em muitos lugares que visitei, pude encontrar vitrais da Tiffany espalhados por edifícios, principalmente no Chicago Cultural Center, local que oferece espetáculos gratuitos para todos os públicos. O Jay Pritzker Pavilion é um teatro a céu aberto, recebe diariamente apresentações artísticas, concertos e shows.

E há também o Art Institute, o meu museu de arte preferido, que reserva um acervo riquíssimo com nomes de Van Gogh, Picasso, Monet, Renoir, El Greco e muitos outros, incluindo a nossa amada Tarsila do Amaral!

A foto ficou meio enviesada, mas é que não sou especialista em fotografar.

A foto ficou meio enviesada, mas é que não sou especialista em fotografar.

E claro, não podia deixar de destacar o Field Museum, que é um museu de história natural.  É aquele famoso que conta com o mais completo fóssil de Tiranossauro Rex já encontrado no mundo. Além disso, traz diversas e muitas - é enorme - partes da história natural de Chicago e do mundo. E nesse quesito mais científico, o Adler Planetarium é um espaço interativo, perfeito para crianças e adultos interessados no espaço infinito.

Vou continuar escrevendo sobre Chicago, mas preciso ressaltar aqui um dos serviços que mais me agradou na última viagem: o Virgin Hotels.

Em geral não nomeio os serviços porque acredito que tem que ser sempre bons. Mas alguns, que surpreendem, merecem minha admiração e comentários. Super bem localizado e instalado em um edifício antigo, patrimônio que foi restaurado. Está no Loop,  e é possível dali ir a pé ao Milleniun Park ou à Magnificent Mile.

Ah, e o banheiro é enorme, super claro! Odeio aqueles banheiros de hotel escuros, com carinha de mal limpo! 

Chicago hotel banho.jpg

O hotel é tudo o que aparece no site, com uma relação custo benefício muito boa. Oferecem um automóvel Tesla, com motorista, para levar os hóspedes aos restaurantes, e este serviço é uma cortesia. 

Porta do quarto do  Virgin Hotel,  com um amigo fiel esperando a nossa chegada

Porta do quarto do Virgin Hotel, com um amigo fiel esperando a nossa chegada

 Mas por ora fico por aqui, e deixo vocês com água na boca para o próximo post.